5 dicas para desenvolver uma boa estratégia de marketing imobiliário

Atualizado: 8 de Out de 2019

Agentes do mercado imobiliário sabem o quanto é importante crescer seu negócio, seja em tamanho, em número de clientes ou até mesmo em relevância e conhecimento do público. Para alcançar esse resultado, uma estratégia que vem sendo amplamente utilizada é o marketing imobiliário, ou seja, o uso de recursos de marketing digital e de conteúdo no setor de venda de imóveis.

Um estudo realizado em 2018 pela Associação Nacional de Corretores de Imóveis dos Estados Unidos mostrou que 87% das pessoas compram suas casas por meio de agentes do mercado imobiliário. A pergunta que fica é: de que forma chegar nessas pessoas e mostrar para elas que a sua empresa é a melhor para se fazer negócio? O marketing imobiliário é a resposta.


Neste artigo, vamos te trazer algumas dicas para desenvolver uma boa estratégia de marketing imobiliário e conquistar cada vez mais clientes.




#1 Reconhecimento de clientes e prospects


Assim como em qualquer estratégia digital, no setor imobiliário o primeiro passo também é conhecer o público com quem você pretende ou gostaria de trabalhar. Para isso, uma dica importante é mapear e identificar os hábitos de consumo, rotinas, o que pensam, o que gostam de fazer, que lugares frequentam, e demais características que possam ser relevantes para entender como o seu público se comporta.

Durante as pesquisas, você deve conversar com seus clientes atuais sobre as principais dores e objetivos deles, principais dúvidas ou inseguranças sobre o processo de compra de imóveis, de que forma preferem realizar este processo, que tipo de conteúdos gostariam de ter acesso para esclarecer algumas questões. Por meio de alguns exemplos de perguntas como estas, a sua empresa pode entender, a partir desta amostragem, como e a quem você deverá se dirigir em sua estratégia de marketing imobiliário.


#2 Criação de site


Para colocar em prática a sua estratégia de marketing imobiliário, após conhecer o seu público e saber com quem você vai falar, é necessário colocar no ar um site. Um estudo realizado pela Imóvel Web identificou que 65% dos entrevistados pesquisam e comparam características de valores de produtos na internet antes de se deslocarem a uma loja física para efetuar a negociação; outros 57% disseram que anúncios na internet motivam a compra dos produtos ofertados; e 56% mencionaram que os anúncios foram catalisadores para visitarem a loja.

Por isso, ao criar o site da sua empresa, pense na forma como o seu público usa os meios digitais, crie botões e um layout que tornem essa navegação mais intuitiva e que ajudem a guiar o usuário para uma tomada de decisão, como o preenchimento de um formulário ou a solicitação de um orçamento. Utilize também cores e fontes que remetam à identidade visual da sua marca, de forma a gerar maior identificação por parte do usuário.


#3 Produção de conteúdo


Você sabe o que é marketing de conteúdo? É a produção de materiais com temas relevantes para o público-alvo do seu negócio, e a divulgação desse conteúdo em todos os canais que a sua empresa utiliza na internet. Seja nas redes sociais, no site, por e-mail marketing para uma base de clientes e até mesmo em um blog, onde os assuntos podem ser abordados de forma mais aprofundada e gerar ainda mais valor esclarecendo possíveis dúvidas do seu público. Uma dica legal neste ponto é sempre posicionar alguém especificamente para cuidar da sua estratégia de conteúdo, fazendo o papel de editor e definindo os temas e pautas sobre os quais o blog irá falar. O conteúdo deve manter uma linha editorial e abordar dores do seu público e que a sua empresa consiga resolver.

As estratégias de marketing de conteúdo se desenvolvem com base no que se chama de funil de vendas, ou seja, são direcionadas às etapas da jornada de compra percorridas pelo seu cliente. Dentro de um funil tradicional, temos a etapa de atração, onde o potencial cliente está passando por um processo de descoberta de uma dor; conversão, quando ele encontra um material que pode ajudá-lo neste problema e deixa seus dados de contato em troca do download; relacionamento, momento em que você precisa nutrir essas pessoas com conteúdos relevantes, que levem ao seu produto ou serviço como solução; venda, em que você fecha o contrato após um período de educação dos seus prospects; e retenção, que é uma etapa de fechamento do ciclo em que você precisa manter o seu cliente interessado em você, de forma que continue utilizando ou possa voltar a contratar o seu serviço. Por trás de tudo isso, está a intenção de satisfazer e agradar o seu cliente, entregando conteúdos relevantes. Se não houver essa entrega, o processo comercial todo pode ficar comprometido.


#4 Geração de senso de urgência


Em uma estratégia de marketing imobiliário eficiente, um dos recursos a que se pode recorrer é gerar senso de urgência nos potenciais compradores. A exclusividade, a autenticidade e unicidade de cada imóvel que você vende deve ser ressaltada em sua estratégia de marketing e também durante o processo comercial, reforçando os diferenciais e o valor envolvido naquela negociação, e buscando fazer com que o prospect perceba isso o mais rápido possível para fechar a compra com o seu escritório e não com a concorrência.

Para ajudar nisso, outra opção para você pode ser se aliar a outros players do mercado, fechar parcerias com sites, empresas ou mesmo profissionais liberais que possam agregar ainda mais valor aos seus lançamentos. A parceria com influenciadores que gerem engajamento com o seu público também pode ser uma ótima ideia para gerar senso de urgência e mostrar ao prospect que existem poucas unidades disponíveis com as tais características que ele busca, e o melhor é fechar o negócio agora.


#5 Realidade virtual no processo comercial


Este título tenta nos enganar, mas não vamos permitir. Não apenas nos processos de venda de imóveis: a realidade virtual e demais recursos tecnológicos voltas à projeção 3D podem ser utilizados em sua estratégia ao longo de toda a jornada de compra do seu cliente. Por meio da projeção, feita com base na planta definida por arquiteto e aprovada com o cliente, imóveis ainda não construídos, por exemplo, podem ser visitados pelo seu cliente, e imóveis projetados sob demanda podem ser visualizados antes que seja gasto um centavo em sua construção, de forma a avaliar se cada detalhe está adequado aos interesses e necessidades do cliente.

Por meio deste tipo de recurso tecnológico, a experiência do seu cliente será elevada a outros patamares, permitindo que ele seja colocado dentro do imóvel, fazendo uma visita completa, em apenas um clique no celular ou computador. Estes softwares de projeção de ambientes com realidade virtual promovem simulações tridimensionais de ambientes internos e externos, utilizadas para apresentar lançamentos imobiliários e projetos de arquitetura e engenharia antes, durante ou mesmo depois de sua construção, com a praticidade de não precisar se deslocar. Os projetos apresentam grande riqueza de detalhes e tudo isso facilita a negociação com o cliente, podendo ser utilizados também como forma de apresentação de conteúdos em suas estratégias de marketing digital imobiliário nos e-mails marketing, publicações em redes sociais e até mesmo blogposts.


Baixe nosso ebook sobre Realidade Virtual para Empreendimentos Imobiliários.




Gostou do que viu por aqui? Neste post, temos mais algumas dicas sobre como encantar clientes com estratégias de marketing imobiliário. E para ver mais conteúdos como este, acesse nosso blog!

Sua Maquete Eletrônica Ltda., CNPJ: 29.827.934/0001-83

R. Leopoldo Couto de Magalhães Jr. 1442 Itaim Bibi São Paulo-SP

contato@suamaqueteeletronica.com.br | Tel: (11) 3136-0841 | Whatsapp: (11) 9.8133-0841

Acesse aqui nossos Termos & Condições 

  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • LinkedIn - círculo cinza