Como contratar um serviço de Maquete Eletrônica

A construção civil está se reerguendo. É o que apontam as expectativas da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) que, na voz do presidente da instituição, José Carlos Martins, afirma que a projeção é de crescimento de 3% em 2020 das atividades do setor. Essa tendência reflete também no reaquecimento do mercado imobiliário como um todo, uma vez que novos imóveis sendo construídos culminam em mais negócios para construtoras, incorporadoras, imobiliárias e escritórios de arquitetura e design de interiores como um todo.

Neste contexto, as oportunidades de investir em técnicas de vendas e inovar na contratação de serviços de tecnologia para impulsionar o seu negócio ficam cada vez mais evidentes e reais. Para te ajudar a entender como é feita a contratação de um serviço de maquete eletrônica, tecnologia de modelagem 3D para lançamentos imobiliários, acompanhe as dicas que trazemos neste artigo.


Hora trabalhada


Dentre os pontos que devem ser levados em consideração por você na hora de contratar um serviço de maquete eletrônica, ou demais recursos tecnológicos da área de modelagem tridimensional, a hora trabalhada em cada projeto se destaca. A definição deste valor, ou seja, de como precificar um projeto de arquitetura, tem início quando uma construtora ou incorporadora, por exemplo, entrega o seu projeto para a empresa que irá produzir os materiais em 3D.

Assim, profissionais da parte de criação irão analisar todo o projeto e enquadrá-lo em um perfil previamente elaborado, que inclui entender tudo o que precisará ser feito naquele projeto, além do cálculo da metragem (varia entre as empresas utilizar está forma de cálculo ou não) que é feito com base nas orientações de valores-padrão das entidades regulamentadoras deste mercado: Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (ASBEA), Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU) e Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB). Para definição do valor, então, são avaliados os projetos para definição de quantas horas serão gastas na produção de cada imagem.

Com tudo isso definido, o valor da hora trabalhada pode ser calculado e apresentado ao potencial cliente.


Profissionais envolvidos


Outro aspecto que você deve levar em consideração ao contratar um serviço de maquete eletrônica é que sempre vai haver a valorização dos profissionais envolvidos no projeto, ou seja, será incluída na precificação final uma margem de lucro. As habilidades intelectuais, criativas e técnicas das pessoas que trabalham em uma maquete eletrônica também precisam ser reconhecidas e remuneradas, para além dos custos básicos da dedicação a um projeto.

A forma como a margem de lucro é calculada pelas empresas varia muito, e você pode fazer algumas pesquisas de mercado para entender o que está sendo cobrado e que faixa de valor você acha mais justa ou proporcional ao seu orçamento. Algumas empresas embutem nesta margem de lucro, por exemplo, um valor pela força do nome do escritório ou do profissional. Outras já consideram esta margem no próprio cálculo da hora trabalhada. Com base no porte e dificuldade de execução da obra, algumas empresas também adicionam um percentual de lucro em cima do valor final cobrado; e ainda há quem imponha margem de lucro ao valor tabelado do metro quadrado. A qualidade do trabalho, considerando o realismo e os detalhes do projeto contam muito, atente-se ao portfólio para entender melhor o orçamento.

De uma forma ou de outra, é importante valorizar os profissionais envolvidos na criação do seu projeto, ajudando a que estejam motivados para este trabalho e entreguem resultados encantadores.


Itens necessários


A contratação de um serviço de maquete eletrônica apresenta alguns pré-requisitos obrigatórios, os quais devem ser fornecidos pelo cliente para que seja dado andamento ao projeto.

O primeiro item que você, enquanto cliente, precisa entregar à empresa escolhida para produzir a sua maquete eletrônica é o projeto arquitetônico do imóvel. É com base nele que as equipes criativas vão desenvolver a simulação 3D para criação das maquetes. Quanto mais informações e referências o cliente entrega, maior a base para o trabalho de criação.

Outros pontos que precisam ser entregues pelo cliente para a contratação do serviço de maquete eletrônica são a localização, o levantamento topográfico e o projeto de interiores e paisagismo da obra. Esses itens influenciam diretamente na análise e criação do projeto 3D, e precisam ser levados em conta desde o início. Entrando em mais detalhes, aqui está o que você precisa fornecer ao seu prestador de serviço que irá criar as maquetes: arquivo do projeto em CAD com planta térrea, elevações, cortes e informações volumétricas; tecidos e materiais que serão aplicados ao piso, paredes, janelas, portas, cortinas e outros componentes dos ambientes; definição das angulações que você deseja que sejam criadas para apresentação do imóvel.


Essas foram algumas dicas do que está envolvido na contratação de um serviço de maquete eletrônica, mas se você quiser saber mais, entre em contato com nossos consultores que será um prazer conversar com você. Acompanhe também o nosso blog para ver mais conteúdos como este!

Sua Maquete Eletrônica Ltda., CNPJ: 29.827.934/0001-83

R. Leopoldo Couto de Magalhães Jr. 1442 Itaim Bibi São Paulo-SP

contato@suamaqueteeletronica.com.br | Tel: (11) 3136-0841 | Whatsapp: (11) 9.8133-0841

Acesse aqui nossos Termos & Condições 

  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • LinkedIn - círculo cinza